Última hora

Atos "repugnantes" mas a eficácia das técnicas "não é verificável", afirma diretor da CIA

Atos "repugnantes" mas a eficácia das técnicas "não é verificável", afirma diretor da CIA
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

“Alguns agentes da CIA usaram métodos repugnantes mas é impossível aferir a eficácia das chamadas técnicas avançadas de interrogatório”. Estas foram algumas das expressões do diretor da agência secreta norte-americana, John Brennan, numa reação ao relatório do senado norte-americano sobre a atuação da CIA após o 11 de setembro.

“O programa de detenção e interrogatórios produziu informação valiosa que permitiu aos Estados Unidos planear, capturar terroristas e salvar vidas. A causa e efeito entre estas técnicas avançadas e a informação útil fornecida pelos detidos não é verificável”, disse.

Apesar da informação valiosa recolhida nos interrogatórios, John Brennan não esconde que alguns agentes foram longe demais.

“Eles foram para além da fronteira nas ações do processo de interrogação. Foram duros e nalguns casos considero ter havido práticas repugnantes. Deixo às outras pessoas a liberdade de classificarem essas atividades como quiserem”, afirmou.

Brennan afirmou também que muitos agentes não estavam formados para conduzir os interrogatórios.

Sobre o relatório do senado, o diretor da secreta norte-americana afirmou que nenhum funcionário da CIA foi questionado durante os cinco anos de investigação.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.