Novo ultimato dos jihadistas à Jordânia

Novo ultimato dos jihadistas à Jordânia
Direitos de autor 
De  Nelson Pereira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Os jihadistas do auto-proclamado Estado Islâmico dão um novo ultimato às autoridades da Jordânia. Segundo uma mensagem sonora divulgada na internet

PUBLICIDADE

Os jihadistas do auto-proclamado Estado Islâmico dão um novo ultimato às autoridades da Jordânia. Segundo uma mensagem sonora divulgada na internet, o piloto jordano Muath al-Kasaesbeh será executado, se a Jordânia não libertar a iraquiana Sajida al-Rishawi em troca do japonês Kenji Goto.

Sajida al-Rishawi foi condenada à morte em 2006 por envolvimento em atentados bombistas em três hotéis da capital jordana, Amã.

Em Tóquio, o primeiro-ministro Shinzo Abe voltou a condenar as ações dos extremistas islâmicos:

“A atividade terrorista dos jihadistas contra civis inocentes, é desprezível, absolutamente imperdoável. Condeno veementemente estes atos terroristas”, disse o chefe do governo nipónico.

Na capital da Jordânia, o pai do piloto refém foi recebido na quarta-feira pelo rei Abdullah II.

Habitantes de Amã manifestaram nas ruas a favor de Muath al-Kasaesbeh. O piloto jordano foi capturado no dia 24 de dezembro na Síria, quando participava numa operação da coligação internacional anti-terrorista.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Acidente com dois helicópteros militares japoneses faz um morto e sete desaparecidos

Sismo no Japão faz nove feridos

Ataque terrorista de Moscovo: tribunal rejeita recurso de um dos suspeitos