A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"O filho de Saul" vence prémio dos críticos de cinema

"O filho de Saul" vence prémio dos críticos de cinema
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O grande prémio da Federação Internacional de Críticos de Cinema (FIPRESCI) foi atribuído à obra “O filho de Saul”. A primeira longa-metragem do realizador húngaro Laszlo Nemes aborda o tema do Holocausto.

A escolha de 'O filho de Saul' para melhor filme da competição foi acertada. Se eu tivesse integrado o júri teria votado nele. É um filme criativo, de grande qualidade, apesar de ser um primeiro filme. Tem tudo a ver com a ideia que preside à nossa federação: a descoberta de novos realizadores.

“Houve muita resistência face à ideia de financiar este filme. É verdade que trato um tema complexo no meu primeiro filme. Além disso trata-se da minha primeira experiência num terreno tão exigente como Cannes. Estamos muito contentes”, sublinhou Nemes.

O filho de Saul” conta-nos dois dias da vida de um prisioneiro de Auschwitz obrigado a trabalhar no crematório. Saul está determinado em enterrar o corpo de um menino que ele toma como filho.

A longa-metragem retrata uma realidade violenta sem mostrar imagens chocantes. A violência está contida no olhar das personagens e no som, mais do que na imagem.

O filme estreia na Hungria a 11 de junho e ainda não tem data anunciada em Portugal.

Criada há 90 anos, a Federação Internacional de Críticos de Cinema privilegia obras originais onde o autor assume riscos.

“A escolha de ‘O filho de Saul’, como melhor filme da competição, foi acertada. Se eu tivesse integrado o júri teria votado nele. É um filme criativo, de grande qualidade, apesar de ser um primeiro filme. Tem tudo a ver com a ideia que preside à nossa federação: a descoberta de novos realizadores”, sublinhou
a jornalista turca Alin Taşçıyan, presidente da FIPRESCI.

“La Patota” de Santiago Mitre foi outro dos filmes premiados pelos críticos de cinema. A longa-metragem apresentada durante a Semana da Crítica, gira em torna de uma jovem advogada que renuncia a uma carreira brilhante para se dedicar ao ensino, numa região desfavorecida da Argentina. Pouco depois de começar o novo trabalho, é brutalmente agredida por um grupo de jovens e descobre que alguns dos agressores são seus alunos. Mas a violência de que é alvo não a faz desistir dos seus ideais.

“La Patota” chega às salas de cinema argentinas a 18 de junho e não tem data de estreia anunciada em Portugal.