A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Reviravolta no Iémen

Reviravolta no Iémen
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O aeroporto de Aden, no sul do Iémen, está de novo nas mãos das forças fiéis ao presidente Abdrabuh Mansur Hadi, exilado na Arábia Saudita.

Esta reconquista foi feita com apoio da coligação liderada pelos sauditas, ao fim de quatro meses de batalha contra os rebeldes houthi apoiados pelo Irão.

Com os combates a intensificar-se, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, mostrou desagrado por o cessar-fogo decretado no fim de semana não ter sido respeitado.

A ONU colocou o Iémen no nível mais alto da situação de emergência humanitária. À guerra civil junta-se uma crise de falta de comida.

Entretanto, na capital, Sanaa, a coligação liderada pela Arábia Saudita bombardeou uma escola de aviação, um dia depois de ter atacado uma zona pobre da cidade. Alegadamente, o bombardeamento tinha o objetivo de atacar alvos rebeldes. Fez 25 mortos e pelo menos 50 feridos.