Última hora

Última hora

Protestos em Mariupol contra retirada do exército

Em leitura:

Protestos em Mariupol contra retirada do exército

Protestos em Mariupol contra retirada do exército
Tamanho do texto Aa Aa

Na cidade de Mariupol, no leste ucraniano, cerca de mil pessoas protestaram no domingo contra a criação de uma zona desmilitarizada na região.

Kiev já retirou em julho parte das forças voluntárias do Batalhão Donbass da região de Shirokino, perto de Mariupol, no sentido de implementar o acordo de cessar-fogo assinado em Minsk, que estabeleceu uma zona desmilitarizada.

A retirada dos combatentes faz porém recear que os separatistas aproveitem para conquistar o porto estratégico de Mariupol, passando a controlar o corredor terrestre que liga a fronteira russa com a península da Crimeia, anexada por Moscovo em março do ano passado, além de toda a zona costeira.

O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko,visitou este domingo as tropas estacionadas em Donetsk. Poroshenko reiterou as suas declarações do passado dia 27, sublinhando que a defesa do porto de Mariupol será reforçada e que a cidade não será incluída na zona desmilitarizada negociada entre as autoridades governamentais e os rebeldes pró-Rússia.

Apesar do acordo de cessar-fogo assinado em Minsk em fevereiro, os rebeldes continuam a disparar na zona desmilitarizada de Donbass, incluindo na região de Shirokino.

Os observadores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) acusaram recentemente ambos as partes em conflito de não respeitarem o cessar-fogo, não tendo retirado a totalidade da artilharia pesada como o acordo de Minsk.

O conflito no leste da Ucrânia já provocou a morte de mais de 6500 pessoas.