EUA: Assassino de 2 jornalistas queria vingar-se de ataque contra igreja de Charleston

EUA: Assassino de 2 jornalistas queria vingar-se de ataque contra igreja de Charleston
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Um homem armado abateu uma jornalista e um operador de câmara durante uma entrevista em direto de uma televisão local na Virgínia. O suspeito

PUBLICIDADE

Um homem armado abateu uma jornalista e um operador de câmara durante uma entrevista em direto de uma televisão local na Virgínia.

O suspeito faleceu esta noite, no hospital, depois de ter sido capturado em estado crítico pela polícia, após uma fuga de várias horas durante a qual teria tentado suicidar-se.

O suspeito foi identificado como Vester Lee Flanagan, que se utilizava do nome profissional Bryce Williams.

Flanagan de 41 anos, um antigo jornalista do canal de televisão WDBJ, tinha gravado o vídeo do assassínio dos dois jornalistas, tendo difundido as imagens em várias redes sociais, antes de ser capturado.

Alison Parker, de 24 anos, e Adam Ward, de 27 anos, entrevistavam Vicki Gardner, diretora executiva de uma câmara de comércio, que também foi baleada, nas costas, mas sobreviveu ao tiroteio e encontra-se hospitalizada.

O canal norte-americano ABC afirma esta noite ter recebido, por fax, um manifesto de 23 páginas de Flanagan, onde o suspeito afirma ter querido vingar-se do ataque contra uma igreja afro-americana em Charleston, em junho deste ano.

Flanagan tinha sido despedido do canal WDBJ há dois anos por alegadamente ameaçar colegas de trabalho.

Um despedimento que o jornalista, negro e homossexual, considerava como um ato de discriminação, denunciado na época à Comissão norte-americana de Igualdade de Oportunidades.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

De quantas armas de fogo necessita uma milícia civil bem organizada?

Casa Branca lamenta mortes na Virgínia e pede ação ao Congresso

Virgínia: Polícia norte-americana confirma morte de atirador