EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Milhares de refugiados chegam ao Eldorado alemão

Milhares de refugiados chegam ao Eldorado alemão
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira com Reuters, APTN
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Comida, roupa e palavras de boas-vindas na chegada de refugiados à Alemanha. O país deve acolher 800.000, até ao fim do ano.

PUBLICIDADE

Munique é o Eldorado com que muitos refugiados sírios sonham e é aqui que continuam a chegar, todos os dias, grupos que parecem intermináveis.

A chegada dos comboios vindos da Áustria é uma ocasião para a reunião de famílias. Muitos veem pela primeira vez, em vários anos, os parentes que tinham ficado para trás. Ali encontrou a família, que tinha deixado em Kobani: “É bom voltar a vê-los ao fim de todo este tempo. Não os via há um ano e meio”.

Exhausted but happy to have a future for her kids - Mum Isma + family from Raqqa, #Syria, now in #Munich, #Germanypic.twitter.com/sZXnMSTQgS

— UN Refugee Agency (@Refugees) September 6, 2015

Se Munique é o destino final para muitos, Frankfurt é outro dos pontos para onde convergem grandes grupos de refugiados.

Como tem acontecido um pouco por toda a Alemanha, são recebidos por voluntários, que lhes oferecem água, comida, roupa e palavras de boas-vindas.

“O nosso objetivo era ficar em Frankfurt, mas encontrámos pessoas muito simpáticas, que nos colocaram neste comboio e nos querem levar para outro sítio, aqui perto”, diz Nawras Ali, de 23 anos, natural de Damasco.

As cenas de apoio e acolhimento aos refugiados repetem-se em
Neu-Isenburg, na periferia de Frankfurt, onde foi instalado um centro de acolhimento temporário numa antiga tipografia.

Só este fim de semana, devem entrar cerca de 12.000 migrantes e refugiados na Alemanha. Até ao fim do ano, o número deve chegar aos 800.000.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Lesbos transborda de refugiados

Papa Francisco pede à comunidade católica para acolher migrantes

Alemanha: Onda de refugiados aviva ódio neonazi