Última hora

Afeganistão investiga "ataques" com gás tóxico contra escolas femininas

Afeganistão investiga "ataques" com gás tóxico contra escolas femininas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades afegãs reforçaram a segurança em centenas de escolas femininas, na sequência de uma misteriosa vaga de intoxicações na província de Herat.

Nos últimos oito dias, pelo menos 600 alunas teriam sido alvo de supostos ataques com um gás tóxico que provoca tonturas e dores de cabeça fortes.

Uma aluna testemunha, “estávamos na sala de aula quando a professora disse-nos que alguém teria lançado gás na sala.Saímos imediatamente para a rua e alguns minutos depois começámos a sentir-nos mal e levaram-nos para o hospital”.

Pelo menos 250 alunas foram hospitalizadas, esta terça-feira, na sequência do sexto incidente do género nas últimas semanas, para receberem tratamento com oxigénio.

A polícia não avança para já uma pista para explicar as intoxicações, atribuídas a grupos fundamentalistas, quando os Talibã rejeitam a autoria das ações.

Em 2010, as autoridades afegãs tinham revelado que o gás utilizado numa vaga de ataques nesse mesmo ano continha produtos tóxicos presentes em pesticidas, mas também em armas químicas como o gás Sarin.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.