EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Japonês bate recorde do Mundo dos 100 metros para velocistas de... 105 anos

Japonês bate recorde do Mundo dos 100 metros para velocistas de... 105 anos
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Hidekichi Miyazaki é um japonês especial, ele faz da elite mundial dos velocistas com mais de um século de vida e acaba de inscrever o nome no Livro

PUBLICIDADE

Hidekichi Miyazaki é um japonês especial, ele faz da elite mundial dos velocistas com mais de um século de vida e acaba de inscrever o nome no Livro dos Recordes.

Apelidado como “Golden Bolt”, Miyazaki perdeu no domingo o recorde dos 100 metros para atletas com mais de um século de vida, que estava nos 29,83 segundos. O norte-americano Don Pellman, que celebrou um século a 12 de agosto, fixou um novo máximo, na categoria: 26,99 segundos (vídeo em baixo).

O nipónico não se deu por vencido e esta quarta-feira, um dia após completar 105 anos, voltou à pista e fixou um novo máximo: 42,22 segundos. Miyazaki ficou aquém do anterior máximo que detinha no “Guiness”, mas este resultado garante-lhe um novo título no livro dos recordes: o do ser humano com 105 anos de idade mais rápido do planeta.

O mais velho velocista do Mundo, ainda em competição, não ficou, contudo, satisfeito. “Queria ter feito menos alguns segundos porque, durante os treinos, cheguei a conseguir fazer 36 segundos”, afirmou Miyazaki, cujo segredo da boa forma física para lá do século de vida está em fazer exercício diário, comer com moderação e mastigar bem os alimentos.

“Os médicos estão todos surpreendidos, mas é tudo uma questão de estar de boa saúde”, afirmou “Golden Bolt”, que ainda espera concretizar o desejo de de desafiar numa pista o homem mais rápido do planeta, o verdadeiro Usain Bolt.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Campeã olímpica Caster Semenya ganha recurso contra testosterona no atletismo

"O verdadeiro Mo Farah"

Atletas ucranianos treinam na Albânia mas com saudades de casa