Última hora
This content is not available in your region

Womex leva música de todas as latitudes até Budapeste

Womex leva música de todas as latitudes até Budapeste
Tamanho do texto Aa Aa

Muitos estilos de música e grupos estiveram presentes na última edição da Exposição de World Music ,Womex , realizada recentemente em Budapeste.

Entre eles, o grupo canadiano Kleztory, que oferece um rico painel de culturas (Russia, Quebec e Moldávia) e tendências musicais (clássica, contemporânea, jazz, country e folk).

“Tocámos muito nas ruas. Começámos com música clássica porque temos formação clássica. Mas quisemos tentar outras coisas. folclore, jazz, improvisação e klezmer Fizemos algumas músicas klezmer, o público reagiu muito bem, e agora é o que fazemos.”

O címbalo húngaro tem um papel muito importante na música popular deste país. Dois dos seus mestres, Kálmán Balogh e Miklós Lukács criaram o Cimbalomduó.

“Quando ele faz um solo eu sigo-o, porque pensamos em música. Depois mudamos os papéis, é ele que me serve. Damos muita atenção ao outro. Quando surge um momento de improvisação, temos de ser capazes de reagir,” explica Kálmán Balogh, sobre o funcionamente do duo.

A Cantora saharaui Aziza Brahim cresceu num campo de refugiados na Argélia, para onde a família fugiu depois da ocupação marroquina do Saara Ocidental. Ela vive em Barcelona e toca com músicos espanhóis.

“A música tem origem no Saara Ocidental, o meu país, mas é claro que é influenciada pela música contemporânea do Mediterrâneo, a música de Espanha, da África Ocidental, do Mali, do Senegal e todos países do Norte de África,” explica Aziza Brahim.

A próxima edição de Womex acontece na cidade espanhola de Santiago de Compostela.