EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Tunísia: Atentado mata 14 e provoca Estado de Emergência

Tunísia: Atentado mata 14 e provoca Estado de Emergência
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Um atentado ao final da tarde desta terça-feira na capital da Tunísia matou pelo menos 14 pessoas e feriu mais de uma dezena de pessoas. O ataque

PUBLICIDADE

Um atentado ao final da tarde desta terça-feira na capital da Tunísia matou pelo menos 14 pessoas e feriu mais de uma dezena de pessoas. O ataque está a ser interpretado como terrorista e teve como alvo um autocarro que transportava membros da guarda presidencial.

“Confirmo a explosão a bordo de um autocarro da segurança presidencial. É um atentado”, afirmou Moez Sinaoui, o porta-voz da presidência da República.

BREAKING: Tunisia to declare state of emergency after Tunis bus attack

— Reuters Top News (@Reuters) 24 novembro 2015

(ÚLTIMA HORA: Tunísia declara estado de emergência depois de ataque a autocarro em Tunes)

O Presidente tunisino cancelou uma viagem que tinha previsto à Europa. Béji Caïd Essebsi decretou o Estado de Emergência no país, alvo pela terceira vez este ano de um sangrento ataque, desta feita contra os próprios elementos da segurança presidencial.

“Devido a este acontecimento doloroso, a esta grande tragédia, declaro o estado de emergência por 30 dias nos termos da lei e um recolher obrigatório na Grande Tunes a partuir das 21 horas e até às 05 horas de amanhã (quarta-feira)”, afirmou o chefe de Estado pela televisão.

Os primeiros indícios recolhidos junto do autocarro atingido esta terça-feira estão a levar as autoridades a ponderar na obra de um bombista suicida, que conseguiu entrar dentro da viatura. Outros relatos dizem que o bombista estaria colocado ao lado do autocarro.

Este ataque sucede-se ao de março, no museu do Bardo, também na capital tunisina, em que morreram 21 turistas, e ainda ao de junho, numa paria de Sousse, onde quase 40 estrangeiros foram mortos a tiro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Acordo para acolher migrantes retidos entre Tunísia e Líbia

Houthis do Iémen fazem ataque mortífero com drone em Telavive

María Corina Machado, líder da oposição venezuelana e principal rival de Nicolás Maduro, sofreu tentativa de assassinato