Papa defende modelo de integração urbano no Quénia

Papa defende modelo de integração urbano no Quénia
De  Euronews com EFE, REUTERS
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Papa desafia o poder político a por fim à exclusão de quem vive nas favelas e propõe um modelo de integração urbano assente no respeito comum.

PUBLICIDADE

O Papa desafia o poder político a por fim à exclusão de quem vive nas favelas e propõe um modelo de integração urbano assente no respeito comum.

O apelo foi lançado num dos bairros mais pobres de Nairobi, na capital do Quénia. Um país onde mais de metade da população vive com menos de um dólar por dia. Criticou, ainda, a falta de infraestruturas e de serviços básicos como esgotos, água potável e eletricidade. Uma situação que descreveu como uma “atroz injustiça da exclusão urbana” e que é preciso resolver.

Para o Papa a dívida social e ambiental para com os mais pobres pode ser paga se forem respeitados três direitos que o chefe da Igreja classifica de sagrados. O direito à terra, ao teto e ao trabalho. Francisco defende que esta não é uma questão filantrópica, mas uma obrigação.

Francisco encerra, esta sexta-feira, a primeira etapa do périplo africano que começou na capital queniana. Parte em seguida para o Uganda e depois para a República Centro-africana palco de uma guerra civil.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Antigo primeiro-ministro checo Andrej Babis volta a ser absolvido de fraude

Madeira. Arguidos saem em liberdade com termo de identidade e residência

Urso pardo abatido em Itália depois de perseguir casal gera protestos por parte de ativistas