EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

EUA ajudam grupo Estado Islâmico a lucrar com venda de antiguidades

EUA ajudam grupo Estado Islâmico a lucrar com venda de antiguidades
Direitos de autor 
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Entre as várias formas de financiamento do grupo estado islâmico está a venda de obras de arte, antiguidades e muitas peças de arqueologia. E, neste

PUBLICIDADE

Entre as várias formas de financiamento do grupo estado islâmico está a venda de obras de arte, antiguidades e muitas peças de arqueologia. E, neste setor, o mercado negro nos EUA está a ajudar este coletivo terrorista a financiar-se ao negociar as peças que este coloca à venda. Uma situação complexa em termos legais.

“Qualquer funcionário da alfândega sabe, quando vê um quilo de cocaína, que é ilegal. Mas quando vê um pote antigo, não sabe, em alguns casos, se é uma réplica ou uma urna com três mil anos”, adianta Deborah Lehr, fundadora e presidente da Antiquities Coalition.

Mas qual é a melhor forma de resolver a questão? Comprar as peças, para as recuperar, tendo em consideração o que isso significa?

“Há alguns colecionadores que dizem que uma forma de proteger este material é comprá-lo. Claro que isso é uma falácia, porque significa incentivar o grupo estado islâmico a continuar as pilhagens, a vender mais e a fazer mais dinheiro”, explica Richard Kurin do Instituto Smithsonian.

Para o ministro das Finanças francês, Michel Sapin, é necessário um controlo mais rigoroso para evitar que os jihadistas lucrem com o comércio ilícito de antiguidades, resultado de saques a locais como Palmira, na Síria, destruído pelos terroristas.

On the way to freeing #Palmyra: Syrian warplanes battering #Daesh in Homs https://t.co/AoaoaMyOGL#SyrianArmypic.twitter.com/ZBHH7MOooJ

— Sputnik (@SputnikInt) 5 dezembro 2015

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Antiguidades de sangue" roubadas geram milhões em mercados de arte europeus

Polícia francesa mata homem que tentava incendiar sinagoga em Rouen

Ataque terrorista de Moscovo: tribunal rejeita recurso de um dos suspeitos