This content is not available in your region

Itália: Cerca de mil migrantes chegam ao porto de Palermo

Access to the comments Comentários
De  Antonio Oliveira E Silva  com ANSA
euronews_icons_loading
Itália: Cerca de mil migrantes chegam ao porto de Palermo

Cerca de mil migrantes, que viajavam em embarcações encontradas ao largo da costa da Líbia, foram esta segunda-feira resgatados por um navio norueguês, que as levou até Palermo, capital da ilha e região italiana da Sicília.

Os migrantes, que seriam 931 no total foram recebidos pelas autoridades locais e pelas equipas de assistência médica, que os transportaram até aos centros de acolhimento da cidade.

Entre os passageiros encontravam-se 64 mulheres e 35 crianças. Duas das mulheres estão grávidas.

Os meios de comunicação social italianos dizem que mais de 100 migrantes seriam de origem marroquina, mas o grupo poderia também incluir cidadãos tunisinos e egípcios. No entanto, a maioria dos migrantes encontrados pelo navio norueguês seria de origem subsahariana.

Recentemente, o Primeiro-ministro italiano Matteo Renzi (Partido Democrático, centro-esquerda) falou contra o que considera como “uma retória anti-migrantes”, pedindo a todos no país ajuda para engrentar o probema.

“Não creio que os migrantes que chegaram possam ser considerados como uma invasão num país de 60 milhões de habitantes.”

As declarações de Renzi da passada quinta-feira tiveram lugar depois de um encontro com o seu homólogo libanês, Tammam Salam.

“Não devemos fingir que não está a acontecer nada”, disse Renzi, que insistiu, por outro lado, “numa ação conjunta para enfrentar os problemas dos refugiados”.

O número de migrantes e refugiados que chegou a território da União Europeia ultrapassou 1 milhão este ano, enquanto quase 4 mil morreram ou foram dados como desaparecidos durante os trajetos, normalmente entre o Médio Oriente ou África e a Europa.

Os dados são da Organização Internacional para as Migrações e foram anunciados no passado dia 22 de dezembro.