Última hora
This content is not available in your region

Grupo de Visegrado evoca "plano B" para travar refugiados

Grupo de Visegrado evoca "plano B" para travar refugiados
Tamanho do texto Aa Aa

O vigésimo quinto aniversário do grupo de Visegrado serviu para apresentar um “plano alternativo” à estratégia da União Europeia para travar a vaga de refugiados.

Reunidos em Praga, os líderes da República Checa, da Eslováquia, da Polónia e da Hungria mostraram-se “pessimistas” a respeito da capacidade para lidar de forma eficaz com os fluxos migratórios através da Grécia e da Turquia e evocaram um “plano B” que passa por um maior apoio à Bulgária e à Macedónia, nomeadamente no que diz respeito ao controlo das fronteiras.

A primeira-ministra polaca, Beata Szydlo, afirmou que “o plano B alternativo […] não vai contra nenhum dos parceiros na União Europeia e não tem um caráter exclusivo. É um apelo a uma ação conjunta por parte da totalidade da União Europeia. As ações equacionadas, como a assistência aos países dos Balcãs, são soluções complementares e são uma contribuição para as atividades da União Europeia como um todo”.

O primeiro-ministro húngaro disse que o seu país está mesmo “disposto a providenciar guardas-fronteiriços e outros recursos humanos e materiais aos países que estiverem dispostos a edificar uma segunda linha de defesa a sul da Hungria”.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.