Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Turquia desafia NATO, milícias curdas e cessar-fogo na Síria

Turquia desafia NATO, milícias curdas e cessar-fogo na Síria
Tamanho do texto Aa Aa

A Turquia demarca-se dos restantes aliados da NATO ao rejeitar suspender os ataques contra as milícias curdas na fronteira da Síria.

Ao quarto dia de bombardeamentos turcos sobre a região de Azaz, na província de Aleppo, o presidente Erdogan desafiou a NATO a escolher entre as milícias YPG e Ancara.

Uma posição que ameaça a trégua de sexta-feira, apoiada pelos Estados Unidos, mas também pela Rússia.

“As regras da nossa operação limitam-se até agora à resposta a um ataque armado contra o nosso país, mas poderemos expandir a nossa ação no futuro, se necessário, para evitar qualquer ameaça contra o nosso território. Que ninguém duvide disto, nós não vamos permitir a formação de um novo bastião do PKK na fronteira sul do nosso país”.

A tensão aumenta desde o fim de semana, quando as milícias curdas tomaram o controlo de várias áreas em redor de Azaz.

Ancara acusa a Rússia de apoiar os combatentes, considerados como uma organização terrorista ligada aos separatistas do PKK.

Longe do apelo de Washington a um cessar-fogo, a Turquia tinha renovado ontem a proposta de uma intervenção terrestre na Síria, como a única forma de pôr fim ao conflito.