EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

G20: Maiores economias do mundo procuram acordos sobre crescimento e combate ao terrorismo

G20: Maiores economias do mundo procuram acordos sobre crescimento e combate ao terrorismo
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Potenciar o crescimento económico mundial e para impedir o financiamento do terrorismo. São estes os principais temas que estão a ser discutidos

PUBLICIDADE

Potenciar o crescimento económico mundial e para impedir o financiamento do terrorismo. São estes os principais temas que estão a ser discutidos pelos ministros das Finanças e governadores de bancos centrais dos países do G20, reunidos em Xangai, na China.

A possível a saída do Reino Unido da União Europeia, o chamado Brexit, tem sido um dos assuntos mais quentes do encontro.
O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, Hong Lei, garante que todos podem sair a perder, caso os britânicos decidam sair do bloco europeu.
“Sempre apoiámos o processo de integração europeia e esperamos que a União Europeia desempenhe um ainda mais importante a nível internacional. E esperamos também que o Reino Unido e a União Europeia consigam resolver este problema tão relevante”.

O arranque dos trabalhos em Xangai foi também marcado pelas declarações do ministro alemão das Finanças, que considera que os estímulos fiscais e as políticas expansionistas vão atingir um “limite”. Wolfgang Schäuble defende que o único caminho para o crescimento são as reformas estruturais. Uma opinião que não reúne consenso entre os restantes membros do G20.
À margem das reuniões oficiais, vão decorrer muitos encontros bilaterais.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Zelenskyy na Albânia para cimeira com países do sudeste europeu

Meloni quer travar imigração ilegal melhorando condições de vida em África

G20 e países de África debatem, em Berlim, cooperação económica e energias renováveis