EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Ucrânia: Manifestantes exigem libertação de piloto julgada na Rússia

Ucrânia: Manifestantes exigem libertação de piloto julgada na Rússia
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A embaixada russa em Kiev voltou a ser alvo da ira de mais de uma centena de manifestantes, este domingo. Um protesto pacífico contra a detenção e

PUBLICIDADE

A embaixada russa em Kiev voltou a ser alvo da ira de mais de uma centena de manifestantes, este domingo.

Um protesto pacífico contra a detenção e julgamento da piloto ucraniana Nadezhda Sávchenko, degenerou em violência, quando vários manifestantes lançaram ovos e pedras contra o edifício, saltando algumas barreiras de segurança.

As instalações diplomáticas tinham sido já palco de protestos, no sábado, quando a justiça russa deverá pronunciar-se esta semana sobre a sentença contra a piloto, em greve de fome desde quinta-feira.

Sávchenko tinha sido capturada por rebeldes pró-russos em Junho de 2014.

Para uma manifestante em Kiev:
“A Nadiya Sávchenko é como a Ucrânia, enfrenta o mesmo desafio, liberdade ou morte”.

Para a irmã da detida, Vira Sávchenko:
“A Europa e os Estados Unidos têm que conseguir encontrar uma linguagem comum com o presidente russo, não sei se através da pressão económica ou política, ou apenas através das palavras. Mesmo que já tenhamos percebido que a Rússia só entende a linguagem da força e da pressão económica”.

Savchenko tinha intensificado a greve de fome ao deixar de beber água, na quinta-feira, depois do tribunal a ter impedido de testemunhar no final do processo.

A sentença deverá ser pronunciada até ao final da semana, quando o estado de saúde da detida se agrava de dia para dia.

Acusada de ter coordenado um bombardeamento que provocou a morte de dois jornalistas russos no leste da Ucrânia em 2014, a piloto, que incorre numa pena de 23 anos de prisão, nega todas as acusações.

Partilhe esta notíciaComentários