EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

FIFA: Beckenbauer e mais 5 investigados pela atribuição do Mundial'2006 à Alemanha

FIFA: Beckenbauer e mais 5 investigados pela atribuição do Mundial'2006 à Alemanha
Direitos de autor 
De  Francisco Marques com LUSA, FIFA
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Comité de Ética da FIFA decidiu abrir procedimentos formais relativamente a seis responsáveis envolvidos na atribuição à Alemanha do Campeonato do

PUBLICIDADE

O Comité de Ética da FIFA decidiu abrir procedimentos formais relativamente a seis responsáveis envolvidos na atribuição à Alemanha do Campeonato do Mundo de futebol em 2006. Entre os alvos da FIFA está Franz Beckenbauer, antiga estrela do futebol alemão, conhecido pela alcunha “Kaiser”, e que foi o presidente do comité organizador do torneio ganho há quase 10 anos pela Itália e no qual Portugal perdeu com os anfitriões o jogo pelo terceiro lugar.

Em comunicado, o organismo que tutela o futebol mundial indicou que, “a partir do relatório encomendado pela própria Federação Alemã de Futebol” (DFB, na sigla original), o “gabinete de investigação da Comissão de Ética independente decidiu abrir procedimentos formais” contra 6 indivíduos envolvidos na “atribuição do Mundial de 2006 e no respetivo financiamento”, em violação de vários artigos do Código de Ética da FIFA.

Statement from the investigatory chamber of the independent Ethics
Committee – https://t.co/VkGHG3jEep

— FIFA Media (@fifamedia) 22 de março de 2016

Para lá de Beckenbauer, estão sob os holofotes da investigação os ex-presidentes da DFB, Wolfgang Niersbach e Theo Zwanziger, os ex-secretários-gerais do mesmo organismo, Helmut Sandrock e Horst Schmidt, bem como Stefan Hans, antigo responsável financeiro da federação germânica.

Franz Beckenbauer tem negado que a atribuição da prova à Alemanha tenha sido “paga” com subornos e, entretanto, recusou-se a colaborar numa investigação em torno das atribuições dos Mundiais de 2018 (Rússia) e 2022 (Qatar), o que lhe valeu em 2014 uma suspensão de 90 dias de todas as atividades ligadas ao futebol. A suspensão foi levantada quando o “Kaiser” aceitou cooperar.

Na votação para a atribuição do Mundial de 2006, que decorreu seis anos antes, a Alemanha ganhou o direito de organizar o Campeonato do Mundo por uma vantagem de um voto — 12 contra os 11 — face à África do Sul, após a abstenção do neozelandês Charles Dempsey.

FIFA investiga atribuição do Mundial-2006: Beckenbauer sob mirahttps://t.co/UnQOTI5Gvqpic.twitter.com/jsx5RI7CUS

— maisfutebol (@maisfutebol) 22 de março de 2016

No início de fevereiro, a DFB reclamou 6,7 milhões de euros a Fedor Radmann, antigo vice-presidente do organismo e um dos responsáveis do Comité Organizador do Mundial2006. A Federação alemã alegou que essa verba foi transferida em 2000 pelo Comité Organizador para a FIFA e que nunca foi “devidamente justificada” nas contas do organismo.

O relatório da empresa que investigou a atribuição do Mundial2006 à Alemanha, encomendado pela DFB, concluiu que não existiu qualquer prova concreta de “compra” de votos no processo.

#FIFA starts formal proceedings against 6 individuals, incl. beckenbauer</a>, over 2006 German <a href="https://twitter.com/hashtag/WorldCup?src=hash">#WorldCup</a> <a href="https://t.co/xS9NLiyu9s">https://t.co/xS9NLiyu9s</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/cleanupsports?src=hash">#cleanupsports</a></p>&mdash; Transparency Int&#39;l (anticorruption) 22 de março de 2016

Franz Beckenbauer negou a compra de votos, apesar de a DFB ter reconhecido que efetuou um pagamento de 6,7 milhões de euros à FIFA, alegando não estar relacionado com o torneio.

O antigo futebolista alemão chegou a assumir que cometera um “erro” enquanto presidente do comité organizador, mas garantiu que não comprou votos para ter o direito de sediar a prova.

A 10 de novembro, o vice-presidente da Federação Alemã de Futebol (DFB) Rainer Koch disse ser tempo de Franz Beckenbauer falar sobre as alegadas irregularidades na atribuição do torneio.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Super League contra UEFA: o que se segue?

Barcelona suspeito de corrupção

Fim da greve na liga feminina de futebol em Espanha