Última hora
This content is not available in your region

Petróleo em queda após fracasso da reunião de Doha

Petróleo em queda após fracasso da reunião de Doha
Tamanho do texto Aa Aa

O barril de petróleo regista uma forte queda, depois da reunião de 18 países produtores de crude, em Doha, ter terminado sem um acordo.

Os representantes de membros e não membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) discutiram o congelamento, até outubro, da produção de ouro negro em níveis de janeiro.

O barril de Brent chegou a perder 7% esta segunda-feira. A meio do dia valia menos dois dólares do que na sexta-feira. Em Londres, o barril ronda os 41 dólares.

Após seis horas de reunião, os ministros consideraram que precisam “de mais tempo” para chegar a um compromisso.

Mohammed Al-Sada, ministro da Energia do Qatar, estima que “as condições do mercado estão a melhorar” e que “o preço está a ir na direção de um equilíbrio. Ainda não ocorreu mas estamos a ir na direção certa”. Mesmo assim adianta: “Se os principais produtores membros ou não da OPEP congelassem a produção iria acelerar o reequilíbrio do mercado.”

O Irão esteve ausente do encontro no Qatar, porque não pretende congelar a produção antes de atingir a quota que tinha antes das sanções internacionais.

Já a Arábia Saudita exige que todos os membros da OPEP participem, incluindo o rival Irão.

Os olhos estão agora postos na reunião da OPEP em junho.

A correspondente da euronews em Doha, Maha Barada, relembra que “a ausência de um acordo na reunião de Doha irá aumentar a deceção e a agitação dos mercados financeiros e os preços do petróleo voltam a recuar, depois de uma semana de subida graças às especulações sobre o resultado da reunião”.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.