EUA denunciam assassinato "bárbaro" de ativista gay no Bangladesh

Access to the comments Comentários
De  Rodrigo Barbosa  com AFP
EUA denunciam assassinato "bárbaro" de ativista gay no Bangladesh

Os Estados Unidos condenaram o assassinato de um conhecido militante dos direitos dos homossexuais no Bangladesh, morto juntamente com um amigo ativista perto da sua residência, na capital, em Daca.

O porta-voz do departamento de Estado norte-americano classificou o crime de um “ataque bárbaro”.

Figura de proa da defesa dos direitos dos homossexuais no Bangladesh, Xulhaz Mannan trabalhava com a embaixada norte-americana em Daca, colaborando nomeadamente com a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional.

O crime foi cometido por um grupo de homens munidos de armas brancas e as autoridades acreditam tratar-se do último de uma série de homicídios contra ativistas laicos críticos do integrismo religioso no Bangladesh.

No sábado passado, o grupo extremista Estado Islâmico reivindicou o assassinato, em circunstâncias semelhantes, de um professor universitário na cidade de Rajshahi, no oeste do país.