EUA: chefe da polícia de São Francisco demite-se após morte de mulher negra

EUA: chefe da polícia de São Francisco demite-se após morte de mulher negra
Direitos de autor 
De  Euronews com REUTERS
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Nos Estados Unidos o chefe da polícia de São Francisco, Greg Suhr, demitiu-se na sequência de protestos despoletados pela morte de uma mulher negra por um…

PUBLICIDADE

Nos Estados Unidos o chefe da polícia de São Francisco, Greg Suhr, demitiu-se na sequência de protestos despoletados pela morte de uma mulher negra por um agente.

A vítima, uma mulher afro-americana de 27 anos de idade, foi abordada por dois agentes que identificaram a viatura em que se encontrava como tendo sido roubada.

A mulher colocou-se em fuga no veículo e embateu contra outra viatura que estava estacionada a pouca distância.

Um dos agentes acabaria por atingi-la a tiro após esta se ter recusado a cumprir ordens.

A demissão teve lugar horas depois do presidente da câmara Ed Lee ter pressionado no sentido do afastamento do chefe da polícia.

“Estes agentes envolvidos nos tiroteios, justificados ou não, forçaram a nossa cidade a abrir os olhos para as questões de quando e como a polícia recorre à força letal. As tensões entre a polícia e as comunidades minoritárias têm aumentado nos últimos anos e agora estão à vista de todos”, disse Ed Lee.

As tensões entre a polícia e as minorias étnicas em São Francisco têm vindo a subir de intensidade nos últimos anos.

Em abril, a morte de um sem-abrigo, Luis Gongora, gerou manifestações.

No início de maio, registou-se uma nova vaga de protestos contra as forças da ordem.

Em dezembro passado, Suhr enfrentou apelos à demissão após a morte de Mario Woods, um afro-americano suspeito de esfaqueamento, e que foi atingido por mais de 20 balas.

Um vídeo divulgado nas redes sociais mostrou o incidente.

O presidente da câmara, Ed Lee, nomeou o vice-chefe da polícia, Toney Chaplin, um afro-americano, para liderar a força policial.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Genocídio no Ruanda foi há 30 anos

Absolvição de polícias acusados de matar homem negro causa revolta nos EUA

Vítimas da violência na Irlanda do Norte põem governo em tribunal