Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

A esperança e os desafios do turismo grego

A esperança e os desafios do turismo grego
Tamanho do texto Aa Aa

As preocupações com a segurança na Turquia e no norte de África estão a alimentar o turismo grego. A Grécia espera um número recorde de visitantes este ano.

Temos de continuar com o ajustamento. É, por isso, que digo que temos de entrar num período de maior austeridade do que nos últimos três anos.

Michael Massourakis Federação empresarial helénica

O turismo é o principal setor económico, representando cerca de 17% do PIB, e é a base para relançar a economia após anos de recessão.

Michael Massourakis, da Federação empresarial helénica, adianta: “Nunca pensámos superar os 14-15 milhões de turistas e esse era o valor esperado durante os Jogos Olímpicos em 2004. Por isso, o facto de estarmos agora nos 25-26 é porque a Grécia soube trabalhar para se manter competitiva, mas temos de reconhecer que há, também, razões geopolíticas”.

Apesar do aumento do número de turistas, os empresários estão preocupados com o futuro.

Atenas aumentou a taxa de IVA para vinte e quatro por cento e os impostos sobre as empresas. Vai aumentar também, nos próximos anos, os impostos sobre tabaco, álcool, telecomunicações, internet e café e vai criar uma taxa de alojamento para hotéis com mais de duas estrelas.

Atenas pretende aumentar os impostos sobre o turismo para cumprir as novas metas do terceiro plano de resgate:http://www.euractiv.fr/section/euro-finances/news/greek-government-bets-on-tourism-to-meet-its-fiscal-targets/ .

Michael Massourakis, da Federação empresarial helénica, afirma: “Fizemos progressos substanciais entre 2010 e 2014, em termos das finanças públicas. Mas desde 2014 houve um certo impasse. Temos de continuar com o ajustamento. É, por isso, que digo que temos de entrar num período de maior austeridade do que nos últimos três anos”.

O setor do turismo emprega uma em cada cinco pessoas na Grécia, mas os empresários dizem que não podem fazer face ao aumento da carga fiscal e receiam ver os turistas fugir.

Um colapso do setor seria dramático, num país onde a taxa de desemprego é superior a 24%. O desemprego juvenil é de mais de 51%.