EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Moscovo nega violação de sanções da ONU contra o Irão

Moscovo nega violação de sanções da ONU contra o Irão
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia rejeitou as alegações de violação das sanções da ONU contra o Irão.

PUBLICIDADE

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia rejeitou as alegações de violação das sanções da ONU contra o Irão.

Em causa está a atividade de aviões da força aérea russa na base iraniana de Hamadã que o representante do Departamento de Estado norte-americano Mark Toner denuncia como sendo um desrespeito pela resolução 22311 do Conselho de Segurança da ONU, que proíbe venda e fornecimento de aviões militares ao Irão.

Moscovo contesta: “Não há razões para suspeitar que a Rússia está a violar resolução 2231. De acordo com esta resolução, é necessário coordenar o fornecimento, a venda e transferência para o Irão de certos tipos de armas, incluindo aeronaves militares. No caso que está sendo discutido não ocorreram nem fornecimento nem transferência ou venda de aviões militares para o Irão.”

Em Teerão o assunto foi levado ao Parlamento cujo presidente tentou sossegar a opinião pública nacional, salientando que a Rússia não tem uma base militar permanente na República Islâmica mas Teerão permite que aviões de guerra russos possam descolar do seu território para bombardear alvos na Síria.

Trata-se de um iniciativa sem precedentes, numa altura em que as duas potências aprofundam a cooperação na guerra civil síria onde estão fortemente investidas.

A Constituição iraniana, ratificada após a Revolução Islâmica de 1979, proíbe forças armadas estrangeiras de ter bases no interior do país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rússia-Irão: Uma aliança de interesses

Tribunal russo condena soldado americano a quase quatro anos de prisão por roubo

Jornalista norte-americano Evan Gershkovich vai ser julgado na Rússia por espionagem