EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Morreu a estilista Sonia Rykiel, a "rainha da malha"

Morreu a estilista Sonia Rykiel, a "rainha da malha"
Direitos de autor 
De  Patricia Cardoso com Lusa, AFP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A estilista francesa Sonia Rykiel, conhecida como “a rainha da malha”, morreu hoje em Paris aos 86 anos, após uma longa batalha contra a doença de Parkinson.

PUBLICIDADE

A estilista francesa Sonia Rykiel, conhecida como “a rainha da malha”, morreu hoje em Paris aos 86 anos, após uma longa batalha contra a doença de Parkinson.

O anúncio foi feito pela filha Nathalie, também ela estilista: “A minha mãe morreu esta noite em Paris, na sua casa, às 05:00 da manhã, devido a complicações da doença de Parkinson”.

A história de Sonia Rykiel na moda começou em maio de 1968, tornando-se rapidamente numa embaixadora de um estilo considerado rebelde, a que a estilista chamava “la démode” (“a não moda”).

A assinatura da estilista inclui a apresentação das costuras, preponderância do preto, riscas coloridas e as camisolas de malha que se tornaram sinónimo da marca.

Filha de mãe romena e pai francês, Sonia Rykiel nasceu em Paris, a 25 de maio de 1930, sendo a mais velha de cinco irmãs. Começou a carreira como vitrinista em 1948.

Nas redes sociais, multiplicam-se as homenagens de personalidades do mundo da moda, mas não só.

Le tendre hommage de Jean-Charles de Castelbajac à Sonia #Rykielpic.twitter.com/WnUC8RmQYA

— Jean-François Guyot (@JFGuyot) 25 de agosto de 2016

Segundo o presidente francês, François Hollande, “Sonia Rykiel era uma mulher livre, pioneira que soube traçar a sua estrada. Ela soube inventar não apenas a moda, mas também uma atitude, uma forma de viver e de estar”.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Líder da independência da Nova Caledónia comparece em tribunal devido aos tumultos

Inteligência Artificial ajuda a identificar cancro de origem desconhecida

Macron pede que antissemitismo seja discutido nas escolas após violação de uma jovem judia