EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Inseticida pulverizado em zonas habitacionais divide Miami na "guerra" ao vírus zika

Inseticida pulverizado em zonas habitacionais divide Miami na "guerra" ao vírus zika
Direitos de autor 
De  Francisco Marques com MY CENTRAL OREGON
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A estratégia foi decidida após a descoberta de três mosquitos portadores do vírus naquela região da Florida, mas está a dividir opiniões entre os residentes.

PUBLICIDADE

Esteve previsto para quinta-feira, mas um protesto levou ao adiamento para sexta-feira e, pelas 05 horas da manhã, as autoridades sanitárias de Miami, nos Estados Unidos, começaram a controversa pulverização aérea de algumas zonas com inseticida para combater o mosquito que tem vindo a propagara na Florida o vírus zika. Uma nova informação oficial divulgada esta sexta-feira (twit em baixo) de que mais mosquitos portadores do vírus foram encontrados na zona.

Latest #Zika Update from MayorLevine</a> & <a href="https://twitter.com/CityManagerMB">CityManagerMB#FightTheBitepic.twitter.com/pI3DhqDK2G

— City of Miami Beach (@MiamiBeachNews) 9 de setembro de 2016

As opiniões entre os residentes dividem-se face à estratégia das autoridades em usar o inseticida Naled em zonas habitacionais, mas há quem não se importe e até agradeça. É o caso de David Kaplan: “Sou a favor da pulverização aérea de inseticida. É ótimo que o nosso governo e as autoridades municipais estejam a agir. Pelo que sei, os químicos usados são em quantidades mínimas e, por isso, não são perigosos para os seres humanos.”

DYK which active ingredients can protect against #Zika carrying mosquito bites? Watch #ZapZika video & learn more. pic.twitter.com/UKJE0iojO3

— CDC (@CDCgov) 8 de setembro de 2016

Brik Viera, um dos opositores à pulverização de inseticida fez parte do protesto de quinta-feira, assume “preocupado” e avisa que “o inseticida pode ser mais causador dos problemas que se querem evitar do que propriamente o zika.”

Pelo menos 604 pessoas, incluindo 84 mulheres grávidas, já foram diagnosticadas com o vírus Zika no estado da Florida. Dessas, 56 seriam residentes em Miami. A maior parte dos diagnosticados terá estado em contacto com o vírus fora dos Estados Unidos.

Florida officials report 1st discovery of Zika-positive mosquitoes in Miami Beach surveillance testing https://t.co/ye28pRy1Cv

— Breaking News (@BreakingNews) 1 de setembro de 2016

A descoberta pelas autoridades de pelo três mosquitos Aedes Aegypti portadores do vírus levou à implementação da estratégia de pulverização com inseticida.

Aerial spray mission was completed this morning at 5:32 am MiamiDadeCounty</a></p>&mdash; City of Miami Beach (MiamiBeachNews) 9 de setembro de 2016

A primeira utilização do inseticida aconteceu no bairro Wynwood, onde surgiram os primeiros casos em Miami, mas o alastrar do surto e a descoberta dos mosquitos portadores levou as autoridades a decidir pulverizar também outras zonas.

A próxima pulverização de inseticida em Miami está prevista para domingo.

Miami’s high-rises are getting in the way of planes that spray insecticide https://t.co/twNqecrYOI

— National Geographic (@NatGeo) 1 de setembro de 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Homem que recebeu rim de um porco teve alta hospitalar

ONU aprova plano ambicioso de combate à tuberculose

De vizinho para vizinho: uma viagem ao sistema holandês de cuidados para idosos