Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Iranianos excluídos da peregrinação a Meca protestam nas ruas de Teerão

Iranianos excluídos da peregrinação a Meca protestam nas ruas de Teerão
Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de pessoas saíram às ruas de Teerão, esta sexta-feira, em protesto contra a decisão da Arábia Saudita de excluir os iranianos do histórico ritual Hajj, a peregrinação anual a Meca.

Esta é a primeira vez, em quase 30 anos, que os iranianos não participam num evento que o islão determina que seja realizado, pelo menos, uma vez na vida.

Os manifestantes criticaram os membros da família real saudita, acusando-os de serem fantoches do Reino Unidos e dos Estados Unidos.

“Chegaram ao extremo da falta de escrúpulos e de traição. Uniram-se aos judeus e são servos dos Estados Unidos. Servem os objetivos e metas dos norte-americanos e fazem de tudo para beneficiar o Israel. Esfaquearam os corações dos muçulmanos”.

“Não temos quaisquer problemas com as pessoas da Arábia Saudita. São sunitas e são nossos irmãos. Já a família de Al-Saud é um fantoche do Reino Unido e dos Estados Unidos. Está a lutar contra os xiitas e contra todos os muçulmanos”.

O Irão e a Arábia Saudita enfrentam-se há anos numa guerra de influência nos conflitos regionais, nomeadamente na Síria e no Iémen.

A relação entre os dois países degradou-se desde os desacatos durante o hajj do ano passado, que vitimaram mais de 2400 peregrinos.

Este ano, os dois países não conseguiram chegar a acordo sobre a segurança na peregrinação a Meca.