Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

O Hajj, o que significa?

O Hajj, o que significa?
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Hajj, que significa “peregrinação” em árabe, é um ritual histórico para simbolizar o desapego e arrependimento durante um periodo de reflexão. É um dos cinco pilares do Islão com o testemunho, a reza, a esmola e o ramadão.

A peregrinação muçulmana passa pelas cidades de Meca, Mina, Arafat e Muzdalifah.

Todos os anos, milhões de muçulmanos de diversos países fazem a peregrinação anual que terá início no próximo sábado, dia 10, sendo obrigação de todo muçulmano com condições financeiras e físicas.

Em redor da Caaba, a pedra sagrada que fica na mesquita de Al Masjid Al-Haram, milhares de crentes caminham. É o primeiro passo da peregrinação que consiste em executar sete voltas em torno deste local. Depois os peregrinos devem percorrer a distância entre os montes Al Safa e Al Marua sete vezes. Ao final, o peregrino deve rapar ou cortar o cabelo e remover a veste branca que representa o desapego a valores e bens.

Origem do Hajj

A história do Hajj remonta aos fundamentos do islamismo. Segundo a religião, Deus ordenou que Abraão – considerado pai de todos os profetas – erguesse, junto com o filho Ismael, os pilares da Caaba (meteorito, que fica em Meca, considerado sagrado pelos muçulmanos) e fizesse o chamamento para que o povo viesse em peregrinação.

Contam os muçulmanos que Abraão viu em sonho que sacrificava o filho Ismael e levou-o para a morte. No caminho, foi tentado três vezes por Satanás e apedrejou-o com sete pedras. No momento do sacrifício, a faca não cortou. Deus, então, enviou o anjo Gabriel para dizer a Abraão que havia concluído a prova e sido sincero. No lugar do filho foram sacrificados cordeiros.

A peregrinação implica seguir os passos do profeta. Os muçulmanos caminham pelos mesmos locais da história, atiram pedras contra as paredes e sacrificam um animal, distribuindo carne aos pobres.

De acordo com a tradição do Islão, a fundação de Meca foi realizada por descendentes de Ismael, primeiro filho de Abraão. Durante o século VII, a cidade funcionava como um grande centro comercial.

Em 1916, com o final do domínio Otomano no território, foi fundado o Reino Hashemita do Hejaz por governantes regionais.

Em 1925 Meca foi tomada pela Dinastia Saudita. Desde então, a cidade passou por um processo de crescimento muito rápido no que se refere à infraestrutura e ao tamanho.

Localizada na região histórica do Reino Hashemita do Hejaz, Meca conta com uma população de 1,7 milhões de habitantes, e situa-se a 73 km de Jidá (cidade do litoral), num vale estreito que fica 277 m acima do nível do mar.