A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Milhares de iemenitas protestam em Saná contra bombardeamento saudita

Milhares de iemenitas protestam em Saná contra bombardeamento saudita
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de iemenitas, muitos dos quais armados, juntaram-se em frente à sede das Nações Unidas, em Saná, para exigir uma investigação internacional ao bombardeamento que fez 140 mortos e centenas de feridos durante um funeral na capital do Iémen. Um ataque atribuído à coligação liderada pela Arábia Saudita, que atraiu também as críticas do Ocidente.

Um manifestante diz que vieram “apelar [pelo respeito] dos direitos humanos e denunciar um massacre sem precedentes que teve lugar este sábado”. E pergunta: “onde estão as Nações Unidas e o resto do mundo?”

Outro afirma que querem “a formação de uma comissão internacional independente para investigar os crimes cometidos pelos agressores sauditas contra o povo iemenita. O último desses crimes é também o pior, cometido [este sábado] durante um funeral”.

O ataque embaraçou os Estados Unidos, aliados de Riade, que anunciaram a reavaliação imediata do apoio à coligação que tenta derrubar o auto-empossado governo “huthi” e repor no poder o presidente Mansour Hadi.

Entre as vítimas do raide aéreo, contam-se personalidades políticas, responsáveis militares e um grande número de civis.