Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Brexit: O plano de Paris para atrair o setor financeiro de Londres

Brexit: O plano de Paris para atrair o setor financeiro de Londres
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O bairro de La Défense, em Paris, está pronto a acolher todas as empresas que decidam abandonar o Reino Unido, devido ao Brexit. A campanha foi lançada esta segunda-feira, 17 de outubro, e tem como símbolo uma rã com gravata azul, branca e vermelha. O slogan é “Tired of the fog? Try the frogs!” (Cansado do nevoeiro? Experimente as rãs!).

Para lá dos cartazes em aeroportos britânicos e franceses, a campanha possiu também uma página internet, onde estão expostas todos as vantagens comerciais e logísticas da capital francesa.

A campanha publicitária procura promover a capital francesa como centro de negócios e como alternativa à City londrina, após o Brexit. Segundo o gabinete de Consultadoria Oliver Wyman, citado pelo jornal Le Monde, Londres poderá perder cerca de 75 mil empregos, pois as empresas vão procurar instalar-se em locais que lhe permitem manter o acesso ao mercado único europeu após o divórcio entre Reino Unido e União Europeia.

Segundo o Banco de Compensações Internacionais, atualmente, Londres gere 41% das trocas cambiais de todo o mundo, o dobro de Nova Iorque, a sua concorrente mais próxima. Em termos europeus, os concorrentes são Zurique e Paris, com apenas 3% do volume de câmbio mundial.

Além disso, a capital britânica acolhe cerca de 85% dos fundos de investimento sediados na Europa e é o principal mercado no setor das seguradoras.

A campanha de La Défense faz parte de uma estratégia mais ampla do governo francês, delineada após a vitória do Brexit, no final de junho. O executivo de Manuel Valls vai também alargar o regime fiscal para quem se instala em França, criou um balcão único para facilitar o registo de empresas estrangeiras, está a implementar um dispositivo de acolhimento que permite aos empresários encontrar locais ou a escola dos filhos. A isto tudo vai juntar-se em breve um embaixador para promover a França no quadro do Brexit.

No entanto, a França tem a desvantagem de ter um código de trabalho considerado rígido e a concorrência é muita. Frankfurt, Amesterdão ou Dublin também tentam seduzir os já denominados “refugiados do Brexit”.

No entanto, há quem defenda que será Nova Iorque a vencedora final. Segundo políticos e dirigentes do setor financeiro, evocados pela agência Bloomberg, os efeitos do divórcio do Reino Unido da União Europeia pode levar os bancos a instalarem-se na cidade norte-americana. Na Europa vão manter aoenas algumas atividades, para respeitar as regras europeias e manter o acesso ao mercado europeu e aos seus 450 milhões de cidadãos.