Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Canadá "desiludido" com impasse no acordo comercial com UE devido à Valónia

Canadá "desiludido" com impasse no acordo comercial com UE devido à Valónia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Comissão Europeia ainda não desistiu do acordo comercial entre a União Europeia e o Canadá, apesar do falhanço das negociações, esta sexta-feira, entre o executivo comunitário, o governo da região belga da Valónia e a ministra do Comércio do Canadá.

No final dessa reunião, no sul da Bélgica, Chrystia Freeland disse que “parece óbvio, tanto para mim como para o Canadá, que a União Europeia não é capaz agora de fazer um acordo internacional, mesmo com um país que tem valores tão europeus como o Canadá. O Canadá está muito desiludido e eu, pessoalmente, também estou muito desiludida”.

Paul Magnette, líder socialista do governo desta região francófona com quatro milhões de pessoas, explicou que“neste momento, para nós, o documento ainda não é suficiente”.

“Disse o mais claramente possível, e venho repetindo há mais de um ano, que temos uma séria dificuldade com o mecanismo de arbitragem que poderia ser usado por empresas multinacionais com sede no Canadá, mas que não são genuinamente empresas canadianas, e é neste ponto que consideramos que o progresso não é suficiente”, acrescentou.

O governo federal da Bélgica é favorável ao tratado mas os seus governos regionais têm poder para vetar estes acordos.

Sem a Bélgica, os outros 27 países da União, que falaram do tema na cimeira em Bruxelas, não podem assinar o acordo, a 27 de outubro.

O primeiro-ministro português expressou, no final da cimeira, o desejo de que o acordo possa ser assinado rapidamente, assim que forem ultrapassadas as dificuldades surgidas na Bélgica.

“O desejo que temos é de que as ‘démarches’ que estão em curso tendo em vista ultrapassar os obstáculos colocados à ratificação desse tratado possam ser ultrapassadas”, disse António Costa.

Costa salientou que, uma vez ultrapassadas as dificuldades que tinham sido levantadas pela Roménia e pela Bulgária (que exigiram isenção de vistos para os seus cidadãos que viajam para o Canadá), só permanece uma reserva por parte da região francófona Valónia.