A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Itália: Depois da derrocada a reconstrução

Itália: Depois da derrocada a reconstrução
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os habitantes do centro de Itália avaliam agora os estragos, dois dias depois da região ter sido atingida por dois sismos de magnitude 4.6 e 4.9, na escala de Richter.

Nas localidades de Camerino e Visso, próximas de Castelsantagelo Sul Nera, onde ocorreu o epicentro, centenas de edifícios ruíram ou ficaram danificados.

Há muito para reconstruir e os locais temem que as comunidades se dispersem.

“Há o risco de essas pessoas se dispersarem por diversas áreas e comunidades. Famílias vão ficar divididas. É difícil. Não sei o que podemos fazer em relação a isso mas é necessário mantermos a comunicação entre as famílias e os amigos, caso tenham de se afastar”, afirma o pároco de Visso, Gilberto Spurio.

“É terrível! Serão necessários 10 anos para reconstruir estas áreas. Na minha idade, daqui a 10 anos estarei num sítio diferente”, conta uma residente de Castelsantangelo Sul Nera.

No local, as equipas da proteção civil prestam ajuda às populações afetadas.

Na quinta-feira, o Governo de Matteo Renzi anunciou ter disponibilizado 40 milhões de euros para fazer face às necessidades mais imediatas.