Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Multiculturalismo em debate na conferência de teatro do Azerbaijão

Multiculturalismo em debate na conferência de teatro do Azerbaijão
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Azerbaijão organiza, todos os anos, uma Conferência Internacional sobre Teatro. A quarta edição do evento decorreu, este mês, em Bacu, e reuniu participantes de quarenta países. Os debates giraram em torno do multiculturalismo e da importância das artes no mundo atual.

A base do multiculturalismo é a liberdade. Para mim, a liberdade significa poder viajar e trabalhar no Cazaquistão, em França, no Azerbaijão, com outros artistas e aprender outras culturas e abordagens teatrais. Por isso, este encontro é muito enriquecedor

“No Egito, a vida teatral intensificou-se depois da revolução. Muitos jovens decidiram usar as artes para lutar em prol da liberdade de expressão”, contou a atriz egípcia Maysa Zaky.

O crítico de teatro russo Pavel Rudnev deu uma conferência sobre os migrantes e considerou que é preciso revalorizar o conceito de multiculturalismo.

“Estou em Bacu para dar uma conferência sobre os migrantes. Penso que é um bom tema tendo em conta o que se passa hoje, guerras e refugiados. Penso que há guerras em todo o lado porque a ideia de multiculturalismo morreu. Uma das questões que eu coloco é: o que se passa no espírito de uma pessoa quando ela perde a sua casa? Este é o tema de várias peças de teatro nos antigos territórios soviéticos”, afirmou Pavel Rudnev.

Além das conferências e dos debates, o evento é uma oportunidade para conhecer o trabalho das companhias de teatro do Azerbaijão. Este ano, os participantes assistiram a uma encenação de Sonho de uma noite de verão de Shaskpeare.

“A base do multiculturalismo é a liberdade. Para mim, a liberdade significa poder viajar e trabalhar no Cazaquistão, em França, no Azerbaijão, com outros artistas e aprender outras culturas e abordagens teatrais. Por isso, este encontro é muito enriquecedor”, sublinhou Irina Antonova, crítica de teatro, no Cazaquistão.

A Conferência Internacional de Teatro de Bacu decorreu entre 6 e 10 de novembro.