Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Batalha de Mossul: A fuga de Gogjali e o regresso a Qaraqosh

Batalha de Mossul: A fuga de Gogjali e o regresso a Qaraqosh
Tamanho do texto Aa Aa

A ofensiva militar contra o grupo Estado Islâmico em Mossul já provocou mais de 68.100 deslocados.

A informação foi avançada esta manhã pela Organização Mundial das Migrações, quando as forças iraquianas prosseguem o avanço sobre o centro da cidade.

Centenas de pessoas foram transferidas da localidade de Gogjali, a 8 KM de Mossul, para campos de refugiados, depois da localidade ter sido retomada aos islamitas.

A aviação norte-americana bombardeou esta noite uma ponte de Mossul, utilizada pelos cerca de 5 mil combatentes do EI para circular entre o leste e o oeste da cidade.

As milícias xiitas pro-governamentais que encabeçam a frente ocidental da ofensiva, afirmam estar prestes a tomar a cidade de Tal Afar, dias depois de terem assumido o controlo do aeroporto militar local.

Nas zonas libertadas do jugo dos islamitas, como em Qaraqosh, a 15 Km de Mossul, alguns habitantes estão a regressar às suas casas.

Um regresso a um cenário de devastação, naquela que era até há dois anos a maior cidade cristã do Iraque.

Várias igrejas católicas, como a Catedral da Imaculada Conceição, foram vandalizadas pelos islamitas.

Um dos templos tinha mesmo sido transformado numa fábrica clandestina de explosivos utilizados nos ataques do EI.

O regresso dos habitantes põe fim a dois anos de ocupação, quando o grupo Estado Islâmico promete uma batalha até à morte no seu último reduto iraquiano, em Mossul.