EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

MIlhares manifestam-se nas Filipinas contra o enterro de herói do ditador Marcos

MIlhares manifestam-se nas Filipinas contra o enterro de herói do ditador Marcos
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

“Ferdinand Marcos não é um herói”, a palavra de ordem foi gritada por milhares de manifestantes esta sexta-feira em Manila.

PUBLICIDADE

“Ferdinand Marcos não é um herói”, a palavra de ordem foi gritada por milhares de manifestantes esta sexta-feira em Manila.

O protesto, que se repetiu em trinta cidades do país, denunciou a decisão do atual presidente filipino de transladar o corpo do antigo ditador para cemitério dos heróis na capital.

Durante vinte anos no poder, metade dos quais sob uma sanguinária lei marcial, Ferdinand Marcos foi responsável pela morte, tortura ou detenção ilegal de mais de 100 mil pessoas.

Para um manifestante: “Esta decisão é como uma chapada nas vítimas da lei marcial. É uma forma de repudiar a decisão do povo filipino que rejeitou e derrubou Marcos a 25 fevereiro de 1986”.

Na Universidade de Manila, dezenas de estudantes despiram-se para juntar-se à vaga de protestos, durante a tradição anual da chamada “corrida nua”.

Os manifestantes exigem que o presidente Rodrigo Duterte e o Supremo Tribunal ordenem a remoção dos restos mortais do cemitério dos heróis.

O corpo do ditador tinha sido sepultado na passada sexta-feira, com honras militares.

Uma decisão autorizada pelo atual chefe de estado, que aceitou remover o cadáver de Marcos de um mausoléu frigorífico na terra natal do ditador – llocos del Norte – onde se encontrava desde 1993.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Forças de segurança realizam operações na capital da Nova Caledónia para controlar onda de violência

Forças de segurança francesas tentam retomar o controlo da principal autoestrada da Nova Caledónia

Presidente da Geórgia garante em entrevista à Euronews que vai vetar lei dos "agentes estrangeiros"