EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

EUA-Rússia: Obama sanciona Moscovo com a expulsão de 35 diplomatas, o Kremlin ameaça responder

EUA-Rússia: Obama sanciona Moscovo com a expulsão de 35 diplomatas, o Kremlin ameaça responder
Direitos de autor 
De  Luis Guita
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Estados Unidos da América anunciaram, quinta-feira, a expulsão de 35 diplomatas russos, como punição por suposta ingerência cibernética nas eleições presidenciais norte-americanas do mês passado, dand

PUBLICIDADE

Estados Unidos da América anunciaram, quinta-feira, a expulsão de 35 diplomatas russos, como punição por suposta ingerência cibernética nas eleições presidenciais norte-americanas do mês passado, dando-lhes 72 horas para deixar o país.

O Kremlin reagiu, através do seu porta-voz, Dmitri Peskov, fez saber que rejeita as acusações e considera a decisão “sem fundamento”.

“Estamos em total desacordo com qualquer uma das acusações, acusações infundadas que foram anunciadas em referência à Rússia. Do nosso ponto de vista, estas ações da atual administração em Washington são uma manifestação infelizmente, imprevista e, até se pode dizer, de política externa agressiva,” declarou Dmitri Peskov.

Entre as medidas anunciadas pelo Presidente norte-americano, Barack Obama, está o encerramento de dois edifícios russos em Nova Iorque e Maryland.

A porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova, reagiu ao anúncio das sanções, afirmando que Moscovo irá responder a qualquer “medida hostil” de Washington.

O Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, já anunciou que vai realizar reuniões com os responsáveis pelos serviços de informação para receber informações sobre a alegada ingerência da Rússia nas eleições norte-americanas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

EUA aplicam sanções contra a Rússia e expulsam 35 diplomatas

Trump compara problemas legais à perseguição feita ao opositor russo Alexei Navalny

"Mostrem alguma coragem". Biden ataca republicanos e Trump pelo impasse na ajuda à Ucrânia