EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

A corrupção na política israelita

A corrupção na política israelita
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As suspeitas de corrupção voltam a ensombrar a política israelita.

PUBLICIDADE

As suspeitas de corrupção voltam a ensombrar a política israelita. Esta segunda-feira o primeiro-ministro foi interrogado pela justiça.

Benjamin Netanyahu está a ser investigado em dois alegados casos de corrupção nos quais é suspeito de ter recebido “prendas ilegais” por parte de empresários israelitas e estrangeiros, estimadas em várias dezenas de milhares de dólares. O chefe do governo de Telavive refutou as acusações:

“Reparámos no tom festivo que atravessou a imprensa, os estúdios de televisão e a oposição. Deixem-me dizer-vos que o melhor é refrearem os festejos. Já o disse antes e volto a repeti-lo: não há nada porque não há nada. Podem continuar a lançar foguetes que nós vamos continuar a governar o Estado de Israel.”

Em julho, Benjamin Netanyahu reconheceu ter recebido dinheiro do francês Arnaud Mimran, condenado pela justiça gaulesa num caso de fraude fiscal. E em novembro, o procurador-geral israelita ordenou a abertura de um inquérito sobre o papel do primeiro-ministro no processo de aquisição de três submarinos ao construtor alemão ThyssenKrupp. Um canal de televisão israelita revelou entretanto que o advogado pessoal de Netanyahu fazia parte do conselho de administração de uma filial da firma germânica.

Além do primeiro-ministro, a sua mulher Sara também enfrenta um processo judicial por utilização indevida de fundos públicos. Em maio foi aberto um inquérito à aquisição de mobiliário de jardim para a residência privada do casal.

Estes casos são recorrentes na política israelita. O predecessor de Netanyahu na chefia do governo e do Likud, Ehud Olmert, encontra-se atualmente a cumprir uma pena de 18 meses de prisão por ter sido subornado enquanto foi presidente da câmara de Jerusalém. E o falecido Ariel Sharon também foi questionado pela justiça num caso de financiamento ilegal do Likud que culminou na condenação de um dos seus filhos a nove meses de prisão.

Vários responsáveis políticos foram condenados em casos de corrupção, como o atual ministro do Interior, Aryeh Dery, que cumpriu uma pena de 3 anos de prisão, Avhram Hirshson, antigo responsável pela pasta das Finanças, ou Shlomo Benizri, ex-ministro do Trabalho.

Os próximos do primeiro-ministro denunciam uma cabala para afastar Benjamin Netanyahu do poder. De acordo com a legislação israelita, um ministro que é acusado num caso de corrupção é obrigado a apresentar a demissão.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Coluna de 120 carros faz manifestação pelos reféns em Israel

Sirenes soam em Telavive pela primeira vez em meses, depois do Hamas ter disparado rockets

Ministro israelita das Comunicações ordena a devolução do equipamento de vídeo apreendido à AP