Última hora
This content is not available in your region

Trump admite ataques informáticos russos

Trump admite ataques informáticos russos
Tamanho do texto Aa Aa

Donald Trump aceita as conclusões dos serviços secretos americanos dizendo que a Rússia promoveu ataques informáticos para influenciar o resultado das eleições que venceu.

Não podemos ir em frente com as nossas vidas, enquanto democracia que somos, quando uma entidade estrangeira está a tentar comprometer o processo eleitoral.

Lindsay Graham Senador Republicano (Carolina do Sul)

A admissão de Trump foi feita pela voz do chefe de gabinete, Reince Priebus, que acusa Barack Obama de saber das interferências da Rússia e da China ao longo de vários anos e não ter feito nada.

Vozes dentro do Partido Republicano, como os senadores Lindsay Graham e John McCain, não desarmam contra Trump: “Quando lhe perguntaram sobre isso, ele respondeu que temos de ir em frente com as nossas vidas. Pois eu digo – As nossas vidas estão construídas à volta do conceito de que somos cidadãos livres, que votamos e temos eleições livres de interferências estrangeiras. Não podemos ir em frente com as nossas vidas, enquanto democracia que somos, quando uma entidade estrangeira está a tentar comprometer o processo eleitoral”, disse Graham, numa entrevista à NBC.

Para Barack Obama, a razão de investigar as ações do presidente russo Vladimir Putin não tem só a ver com as eleições americanas: “Parte das razões que me fizeram pedir este relatório têm a ver não só com o que aconteceu nos últimos anos, mas com a necessidade de mostrar que Putin faz isto há muito tempo na Europa, inicialmente em países-satélite onde há muitos falantes de russo, mas recentemente também em países da Europa Ocidental”, disse o presidente norte-americano, em referência ao apoio de Putin a governos como o de Viktor Ianukovich na Ucrânia, entretanto destituído, ou as alegadas ligações à Frente Nacional de Marine Le Pen, em França.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.