Última hora
This content is not available in your region

Rússia alerta para risco de um reacender do conflito nos balcãs

Rússia alerta para risco de um reacender do conflito nos balcãs
Tamanho do texto Aa Aa

A Rússia dá as boas vindas a um novo presidente norte-americano, distante do que considera serem “as lições de moral” da administração Obama.

No seu discurso de Ano Novo, o responsável da diplomacia russa, Serguei Lavrov, anunciou ter convidado a nova administração a sentar-se à mesa das negociações sobre a paz na Síria no próximo dia 23.

Em paralelo, Lavrov acusou “alguns países europeus” de tentarem fazer naufragar as discussões de paz sobre a Síria.

O convite a Trump foi acompanhado de um novo desmentido sobre a alegada espionagem russa ao presidente-eleito e sobre a suposta interferência durante a campanha das presidenciais nos EUA.

“Francamente não vou tentar provar que tudo isto não é verdade. Algumas pessoas que recusaram regras universais para ordenar os media, para consolidar esforços para lutar contra a fraude informática estão a acusar-nos, sem nenhuma prova, de termos assumido o controlo sobre uma grande parte do mundo”.

Lavrov não poupou igualmente críticas à decisão da NATO de mobilizar milhares de soldados para a Polónia e outros países europeus limítrofes com a Rússia. Uma operação de proteção face à ameaça russa após a anexação da Crimeira por Moscovo.

“Se as estruturas de poder da NATO não conseguem pensar em melhores formas de utilizar as suas forças do que mobilizá-las para a Estónia ou para a fronteira com a Rússia, isto quer dizer que os seus serviços de informação não estão a fazer um bom trabalho e a NATO não vê o que se está a passar noutros países dentro da área de responsabilidade da NATO”.

Depois de ter acusado ontem os EUA de lançarem uma nova corrida às armas no leste da Europa, o responsável da diplomacia russa alertou para a possibilidade de um novo conflito armado nos balcãs. Lavrov afirma que as forças albanesas devem retirar-se das zonas sérvias do norte do Kosovo.

Um aviso em tom de ameaça quando a Rússia, aliada de Belgrado, não reconhece a independência do território.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.