Tratado de Maastricht foi assinado há 25 anos

Tratado de Maastricht foi assinado há 25 anos
Direitos de autor 
De  Euronews com União Europeia, lusa, afp, efe
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O tratado que criou a União Europeia foi assinado no dia 7 de fevereiro de 1992.

PUBLICIDADE

Deu o nome ao tratado que estabeleceu os pilares da União Europeia: Maastricht, uma pequena cidade de 120 mil habitantes, no sul da Holanda, a menos de 40 km de Liège, na Bélgica, e de Aix-la-Chapelle, na Alemanha, foi o palco, há 25 anos, de um marco histórico, de uma nova era no processo de integração europeia.

Nas margens do Rio Mosa, na sede do governo da província de Limburgo, o Tratado da União Europeia, o seu nome oficial, é assinado no dia 7 de fevereiro de 1992.

A queda do Muro de Berlim e o colapso do comunismo na Europa de Leste estimularam a vontade de aprofundar laços dos então 12 Estados-Membros da Comunidade Económica Europeia (CEE), apesar das reticências do Reino Unido.

O primeiro-ministro de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, presidiu à cerimónia na qualidade de presidente do Conselho Europeu.

“Hoje, aqui em Maastricht, cumpre-se mais um passo histórico na Europa que solidariamente estamos a construir. O tratado que vai ser assinado constitui um avanço decisivo na caminhada para a União Europeia, meta ambiciosa de um processo sem paralelo na história contemporânea”, declarou Cavaco Silva na cerimónia.

Foi um passo de gigante na integração política e económica da Europa. O Tratado de Maastricht entraria em vigor a 1 de novembro de 1993, com os Estados-Membros a abdicarem de parte da sua soberania. Nascia a União Europeia, assente em três pilares fundamentais:

As Comunidades Europeias; a Política Externa e de Segurança Comum (PESC); e a cooperação policial e judiciária em matéria penal.

O tratado introduz também a cidadania europeia na legislação comunitária, reforça as competências do Parlamento Europeu e lança a União Económica e Monetária (UEM), cuja moeda será o euro.

Símbolo de uma Europa cada vez mais integrada, desde que chegou aos bolsos dos europeus no dia 1 de janeiro de 2002, o euro tem conseguido sobreviver aos turbilhões da crise apesar dos problemas e fraquezas da União Económica e Monetária.

Hoje, novas tensões internas e externas colocam à prova a solidez da construção europeia.

Numa passagem recente (em dezembro) por Maastricht, na sala onde o tratado foi assinado há 25 anos, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker deixou um aviso:

“Aqueles que pensam que chegou o tempo de desconstruir, de fazer da Europa uma manta de retalhos, de nos dividir em espaços nacionais, estão completamente enganados. Não existiremos como nações sem a União Europeia”.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Covid-19: Agência Europeia de Medicamentos pede a autoridades para "que se mantenham vigilantes"

União Europeia ameaça suspender TikTok Lite devido ao risco de dependência nos jovens

Eleições europeias: campanha eleitoral abre oficialmente em Itália com apresentação dos logótipos