Português Diogo Costa Amarante vence Urso de Ouro para melhor curta-metragem

Português Diogo Costa Amarante vence Urso de Ouro para melhor curta-metragem
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O português Diogo Costa Amarante venceu o Urso de Ouro, da Berlinale, para melhor curta-metragem, “Cidade Pequena”.

PUBLICIDADE

O português Diogo Costa Amarante venceu o Urso de Ouro, da Berlinale, para melhor curta-metragem, “Cidade Pequena”. Um filme sobre um menino de 6 anos que descobre que a morte é o resultado do parar de bater do coração.

O português Diogo Costa Amarante à direita

First words from the berlinaleshorts</a> winners!<a href="https://twitter.com/hashtag/KaramGhossein?src=hash">#KaramGhossein</a>, <a href="https://twitter.com/hashtag/EstebanArrangoiz?src=hash">#EstebanArrangoiz</a>, <a href="https://twitter.com/hashtag/DiogoCostaAmarante?src=hash">#DiogoCostaAmarante</a> on their works <a href="https://t.co/jSlkATv2Hl">https://t.co/jSlkATv2Hl</a> <a href="https://t.co/PlotTZVbge">pic.twitter.com/PlotTZVbge</a></p>— Berlinale (berlinale) 18 février 2017

The winner of the #GoldenBear for Best Short Film is CIDADE PEQUENA by Diogo Costa Amarante #Berlinaleberlinaleshorts</a> <a href="https://t.co/XmL5iic2cJ">pic.twitter.com/XmL5iic2cJ</a></p>— Berlinale (berlinale) 18 février 2017

Mas o grande prémio da noite, o de melhor filme, foi para a Hungria.

Ildiko Enyedi bateu a competição com «On Body and Soul», uma história de amor pouco convencional:

“É um filme apaixonado mas se não se entrar neste pequeno labirinto desde o início não se consegue perceber, é como se se visse apenas um frio gelado, pessoas distantes, frias, num ambiente gélido, a grande paixão está escondida por detrás”, explica a realizadora.

She is obviously very happy about her new friend – Ildikó Enyedi’s film ON BODY AND SOUL just won the #GoldenBear of the 67th #Berlinale!! pic.twitter.com/unNu9qN7Y1

— Berlinale (@berlinale) 18 février 2017

O Urso de Prata para melhor realizador foi para a Finlândia. O vencedor foi o realizador Aki Kaurismaki, com “The Other Side of Hope”.

“Este ano, a surpresa foi a escolha de júri, presidido por Paul Verhoeven, de atribuir o Urso de Ouro a um filme romântico. A Berlinale galardoa, geralmente, com os prémios mais importantes filmes com conteúdo político e social”, explica o enviado da euronews à Berlinale, Wolfgang Spindler.

Lista dos vencedores da 67.ª edição do Festival de Cinema de Berlim:

- Urso de Ouro para melhor filme: “Testrol es lelekrol” (On Body and Soul), da realizadora húngara Ildiko Enyedi.

- Urso de Prata do Grande Prémio do Júri: “Felicite”, de Alain Gomis.

- Urso de Prata para melhor realizador: Aki Kaurismaki, por “Toivon tuolla puolen” (“The Other Side of Hope”).

-Urso de Prata para melhor atriz: Kim min-hee em “Bamui haebyun-eoseo honja” (“On the Beach at Night Alone”).

- Urso de Prata para melhor ator: Georg Friedrich em “Helle Naechte” (“Bright Nights”), Thomas Arslan.

- Urso de Prata por contribuições artísticas (edição): Dana Bunescu, por Calin Peter Netzer’s “Ana, mon amour”.

- Urso de Prata para o melhor guião: “Una mujer fantastica” (“A Fantastic Woman”), Sebastian Lelio e Gonzalo Maza.

- Prémio Alfred Bauer pelo trabalho com especial inovação: “Pokot” (“Spoor”), Agnieszka Holland.

- Melhor documentário: “Istiyad Ashbah” (“Ghost Hunting”), Raed Andoni.

- Melhor primeira longa-metragem: “Estiu 1993” (“Summer 1993”) Carla Simon.

PUBLICIDADE

- Urso de Ouro para melhor curta-metragem: “Cidade Pequena” (“Small Town”), Diogo Costa Amarante.

- Urso para melhor filme com contexto gays ou lésbicas: “Una mujer fantastica” (“A Fantastic Woman”), Sebastian Lelio.

- Urso para melhor documentário com contexto gays ou lésbicas: “Ri Chang Dui Hua” (“Small Talk”).

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Palmarés europeu (e português) do Festival de Cinema de Berlim

"Felicite": A realidade de Kinshasa na Berlinale

No Museu da Comida Nojenta em Berlim há iguarias para (mesmo) todos os gostos