Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Renasce a esperança de encontrar outras formas de vida

Renasce a esperança de encontrar outras formas de vida
Tamanho do texto Aa Aa

A NASA anunciou, esta quarta-feira, e pela primeira vez, a descoberta de um sistema planetário composto por sete exoplanetas que giram em torno de uma estrela anã, a Trappist-1, muito menor do que o Sol.

Os astrónomos responsáveis pela descoberta, muitos europeus acreditam que em pelo menos três deles, haja oceanos e, potencialmente, formas de vida:

“Três desses planetas, marcados a verde, estão na zona habitável onde a água líquida pode surgir à superfície. Na verdade, com as condições atmosféricas adequadas, pode haver água em qualquer um desses planetas”, adianta Thomas Zurbuchen, da NASA.

Estes exoplanetas têm um tamanho e massa parecidos aos da Terra, ainda que com pequenas variações. Informação avançada pela NASA e por alguns dos astrónomos que fizeram esta descoberta:

“Com o telescópio Spitzer, medimos muito, muito precisamente os tamanhos e temos, também graças ao Spitzer, uma medição preliminar das massas de seis deles e, em relação a um deles, a nossa medição é, suficientemente, precisa para sugerir uma água com uma composição rica, o que é muito entusiasmante porque se trata de um dos planetas da zona habitável”, explica Michael Gillon, astrónomo da Universidade belga de Liège.

Para determinar, com mais precisão, a possibilidade de existência de formas de vida é preciso estudar a atmosfera.