EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

França: Fillon apela à unidade apesar de nova polémica

França: Fillon apela à unidade apesar de nova polémica
Direitos de autor 
De  Rodrigo Barbosa com AFP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Face à acumulação de polémicas, François Fillon responde com uma comparação com Joana d’Arc e apela à união em apoio à sua candidatura nas presidenciais…

PUBLICIDADE

Face à acumulação de polémicas, François Fillon responde com uma comparação com Joana d’Arc e apela à união em apoio à sua candidatura nas presidenciais francesas.

O jornal “Le Canard Enchainé”, que já tinha revelado o escândalo dos empregos fictícios envolvendo a mulher e filhos do candidato conservador, noticiou esta terça-feira que Fillon recebeu em 2013 um empréstimo de 50 mil euros de um empresário, que não declarou.

Em campanha em Orléans, o candidato do partido Os Republicanos, dizia: “Penso nas palavras de Joana d’Arc, perante os juízes: ‘Ignorem, peço-vos’. Penso nessas palavras hoje. Ignorem os ataques de que sou alvo, ignorem porque, tal como vocês, milhões de franceses recusam que os seus votos sejam predefinidos e confiscados.”

O dia não foi só de más notícias para Fillon, já que, após grandes tensões internas, o comité político dos Republicanos acabou por lhe renovar o apoio e apelar à “unidade em torno da [sua] candidatura”.

Uma apoiante diz esperar que “seja um novo início para a campanha” e que “ele ataque com força os rivais, porque não há tempo a perder”.

Cada vez mais contestado e alvo de uma investigação formal no caso do alegado emprego fictício da esposa como assistente parlamentar, Fillon conta com apenas 19 por cento das intenções de voto na primeira volta das presidenciais, bem atrás da líder da extrema-direita Marine Le Pen e do ex-ministro da Economia Emmanuel Macron.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Macron pede que antissemitismo seja discutido nas escolas após violação de uma jovem judia

Líder da extrema-direita opõe-se ao envio de tropas francesas para a Ucrânia

Francês detido no Irão por participar em protestos após a morte de Mahsa Amini foi libertado