México rejeita políticas migratórias da administração Trump

México rejeita políticas migratórias da administração Trump
De  Antonio Oliveira E Silva com EFE e NOTIMEX
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Durante visita a Washington, o ministro mexicano dos Negócios Estrangeiros, Luís Videgaray, disse que as ideias dos EUA poderiam violar o Direito Internacional.

PUBLICIDADE

Com EFE e Notimex

O ministro mexicano dos Negócios Estrangeiros (Relações Exteriores), Luis Videgaray, criticou algumas das propostas dos Estados Unidos relativamente a políticas migratórias e ao tratamento dado a cidadãos mexicanos que vivem e trabalham nos EUA.

Foi durante uma conferência de imprensa na embaixada mexicana em Washington que Luis Videgaray referiu alguns dos pontos que mais preocupam o Governo mexicano.

Em primeiro lugar, a possibilidade de que os Estados Unidos venham a separar crianças dos seus pais, no caso de famílias que sejam detidas a tentar atravessar a fronteira ilegalmente.

Uma medida que visaria, segundo os EUA, dissuadir a emigração ilegal para o país.

Para o México, no entanto, medidas como esta poderiam violar o Direito Internacional e provocar, por outro lado, danos irreversíveis em muitas famílias mexicanas.

.LVidegaray</a> comunicó a la Casa Blanca el rechazo de México a la separación de familias mexicanas. >> <a href="https://t.co/xdLSzOy8Ih">https://t.co/xdLSzOy8Ih</a> <a href="https://t.co/kjrFoTDmgM">pic.twitter.com/kjrFoTDmgM</a></p>&mdash; Notimex (Notimex) 9 de março de 2017

“Acreditamos que separar família quando chegam aos Estados Unidos, independentemente das razões que tenham levado a este tipo de política, constituem um ataque contra a integridade da unidade fundamental de uma sociedade, que é a família”, disse o ministro mexicano dos Negócios Estrangeiros. Em segundo lugar, o chefe da diplomacia mexicana referiu que o seu país não está disposto a aceitar políticas unilaterais por parte do vizinho do norte.

Os EUA referiram a possibilidade de que todos os estrangeiros indocumentados presentes no território fossem deportados, independentemente do seu país de origem, para o México.

Uma vez em território mexicano, poderiam solicitar estatuto legal nos EUA, tendo em conta as diferentes possibilidades legais previstas, sem que qualquer estatuto lhes viesse a ser concedido.

A este respeito, Luis Videgaray insistiu na soberania do México e no facto de que apenas o “México decide quem entra e quem não entra no México”.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ativistas dos direitos dos animais protestam contra touradas no México

Agentes da autoridade mortos a tiro no Estado de Nova Iorque

Casa Branca diz desconhecer data para a ofensiva terrestre em Rafah