EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Nova Zelândia: Polícia criticada por matar cão no aeroporto de Auckland

Nova Zelândia: Polícia criticada por matar cão no aeroporto de Auckland
Direitos de autor 
De  Nelson Pereira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ativistas neozelandeses de proteção dos animais estão em polvorosa, indignados com a morte de um cão no aeroporto de Auckland.

PUBLICIDADE

Ativistas neozelandeses de proteção dos animais estão em polvorosa, indignados com a morte de um cão no aeroporto de Auckland.

O animal, um braco francês de dez meses, chamado Grizz, estava treinado para detetar explosivos e foi morto por um atirador da polícia.

Grizz andou fugido durante três horas, obrigando à suspensão dos voos no aeroporto. Segundo Peter Clark, um especialista em aviação, a polícia agiu por imperativos de segurança:

“Qualquer animal ou objeto que se encontre no perímetro exterior e possa chegar à pista principal levanta questões de segurança e constitui um perigo. Se uma aeronave de menores dimensões o atingisse as consequências poderiam ser dramáticas.”

Para os ativistas da proteção dos animais, a polícia deveria ter recorrido a dardos tranquilizantes:

“Não parece credível que tenha sido a única alternativa, pois não ouvi referências a armas tranquilizantes. O animal foi caçado durante algumas horas e teria sido possível”, disse Hans Kriek, da organização animal SAFE.

O incidente forçou o adiamento de 16 voos domésticos e internacionais.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Austrália e Nova Zelândia dão as boas-vindas a 2024

Nova Zelândia recua na lei antitabaco

Mundial feminino: Espanha vence 3-0 a Costa Rica e Suíça lidera o grupo A