EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Erdogan promete levar reinstauração da pena de morte ao Parlamento

Erdogan promete levar reinstauração da pena de morte ao Parlamento
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente turco ofereceu aos seus eleitores um desfile triunfal, em Ancara, após a vitória no referendo que os observadores estrangeiros e membros da oposição consideraram…

PUBLICIDADE

O presidente turco ofereceu aos seus eleitores um desfile triunfal, em Ancara, após a vitória no referendo que os observadores estrangeiros e membros da oposição consideraram injusta.

Recep Tayp Erdogan foi seguido por uma multidão até ao palácio presidencial entre aplausos e slogans a pedir a reinstauração da pena de morte no país.

“Isto é o que eu tenho dito em todos os comícios. Se Deus quiser, esta questão irá ao Parlamento. Quando for aprovada pelo Parlamento, eu aprovo-a. Eu aprovo-a porque não temos o poder de perdoar aos assassinos dos soldados mortos.”.

As emendas constitucionais foram defendidas por uma maioria estreita de 51,4%, segundo os resultados oficiais ainda provisórios. Os observadores internacionais concluíram que o processo não pode ser considerado como verdadeiramente democrático, entre outros motivos porque as duas partes não tiveram oportunidades iguais, segundo um comunicado divulgado hoje.

Os observadores do Conselho da Europa e da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) indicam ainda que a cobertura dos meios de comunicação social foi parcial e que existiram limitações às liberdades fundamentais.

Numa decisão sem precedentes, o conselho eleitoral aceitou como válidos boletins sem o carimbo oficial o que originou indignação entre os eleitores e os partidos da oposição.

O principal partido da oposição da Turquia, Partido Republicano do Povo (CHP, social-democrata), pediu ao conselho eleitoral para cancelar os resultados do referendo face a estas irregularidades no escrutínio.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Referendo na Turquia: "Não houve apenas irregularidades, houve uma fraude massiva"

Observadores internacionais: "O referendo na Turquia não foi verdadeiramente democrático"

Referendo Turquia: "Sim" vence também na diáspora