EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Argentinos na rua contra Supremo Tribunal

Argentinos na rua contra Supremo Tribunal
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
PUBLICIDADE

Milhares de argentinos saíram, quarta-feira, às ruas e concentraram-se na histórica Praça de Maio, em Buenos Aires, para protestar contra uma lei que prevê a redução das condenações de responsáveis da ditadura militar (1976-1983). O documento foi aprovado pelo Supremo Tribunal e estabelece que se a prisão preventiva de um acusado durar mais de dois anos, a partir dessa data, cada dia de detenção preventiva, passa a valer por dois, o que terá reflexos nos anos de prisão que a sentença, saída do julgamento, definir.

O Senado argentino reagiu e aprovou, também quarta-feira, e por unanimidade, um projeto-lei que estabelece que a lei não pode ser aplicada a condenados por crimes contra a humanidade, genocídio ou crimes de guerra. O presidente do país congratulou-se com a pronta resposta:

“Felicito o Congresso pela rapidez com a qual resolveu uma lacuna legal deixada por esta infeliz lei do “cálculo do 2×1”. Uma lei contra a qual me mostrei sempre porque sou contra todo o tipo de ferramentas a favor da impunidade, principalmente, quando são aplicadas a crimes contra a Humanidade”, afirmou Mauricio Macri, o chefe de Estado argentino.

O Supremo Tribunal do país tomou a controversa decisão no caso do civil Luis Muiña, condenado, em 2011, a 13 anos de prisão por tortura e sequestros, cometidos numa prisão clandestina, durante o último regime militar.

No centro da manifestação esteve a organização de defesa dos Direitos Humanos, “Mães e Avós da Praça de Maio”, que tem como objetivo encontrar e restituir as crianças sequestradas ou desaparecidas, durante a ditadura militar argentina, às suas famílias e punir os responsáveis por estes crimes.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Chuvas torrenciais provocam inundações em Buenos Aires e deixam milhares sem eletricidade

Manifestação contra Javier Milei reprimida pela polícia argentina

Marcha do orgulho LGBT em Buenos Aires