EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Kosovo: eleições sob a atenção internacional

Kosovo: eleições sob a atenção internacional
Direitos de autor 
De  Luis Guita
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
PUBLICIDADE

Os kosovares elegem, domingo, o parlamento. Mas as possíveis acusações de crimes de guerra que alguns dos responsáveis do país podem enfrentar, e as tensões com a vizinha Sérvia, podem provocar perturbações em alguns mandatos.

O favoritismo vai para uma coligação de antigos “combatentes”, dirigida por antigos líderes do UCK (Exército de Libertação do Kosovo). O PDK e os dois pequenos partidos que formam a coligação conseguiram 45% dos votos em 2014. O seu primeiro-ministro seria Ramush Haradinaj, conhecido como “Rambo”, um homem que a Sérvia quer julgar por crimes de guerra.

O grande opositor é Avdullah Hoti . O até agora ministro das Finanças defende um programa “claramente pró-europeu” e promete “uma guerra intransigente contra a corrupção”.

Hoti é um próximo do antigo primeiro-ministro, Isa Mustafa, que entrou em colapso quando não conseguiu o voto de confiança e foi acusado pela oposição de não cumprir a promessa de melhorar a vida dos 1.8 milhões de habitantes do Kosovo.

Mais de nove anos após o Kosovo declarar a independência da Sérvia, quase um terço da população está desempregada, enquanto o salário médio é de cerca de 300 euros por mês.
Mas o crescimento do país continua forte, principalmente graças às remessas do exterior que representam cerca de 20% do produto interno bruto (PIB).

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Kosovo mais perto de aderir ao Conselho da Europa. Decisão final tomada em maio

Censos no Kosovo abrem polémica por incluírem perguntas sobre danos de guerra

Milhares de sérvios do Kosovo protestam contra decisão de abolir o dinar