EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Bruxelas aguarda nova proposta britânica sobre residentes da União

Bruxelas aguarda nova proposta britânica sobre residentes da União
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, definiu primeira proposta como "pouco satisfatória".

PUBLICIDADE

Com agências

A primeira-ministra britânica, Theresa May, deverá dar a conhecer as condições definidas por Londres para os residentes da União Europeia no Reino Unido, depois da saída do país daquela organização enquanto Estado membro.

Numa entrevista a um conhecido canal de televisão do Reino Unido, David Davis, que assumiu a responsabilidade pelas negociações do processo conhecido como Brexit, disse que o documento de 15 páginas, com as decisões do Executivo, seria apresentado esta segunda-feira.

Recentemente, os líderes da UE disseram que a primeira proposta de May relativa aos residentes europeus não era satisfatória.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, definiu a proposta como “um primeiro passo, mas insuficiente.”

.JunckerEU</a> "Unimaginable that Court of justice of EU is excluded in any <a href="https://twitter.com/hashtag/Brexit?src=hash">#Brexit</a> citizens' agreement. But <a href="https://twitter.com/hashtag/EUCO?src=hash">#EUCO</a> is not negotiating." <a href="https://t.co/Lldgmt0cdi">pic.twitter.com/Lldgmt0cdi</a></p>— Mina Andreeva (Mina_Andreeva) 23 de junho de 2017

Juncker disse também que a ideia de que o Tribunal de Jusiça da União Europeia (TJUE) ficasse de fora das negociações acerca dos direitos dos residentes da UE no Reino Unido seria “algo impensável”.

“Cidadãos de segunda classe”

O Executivo britânico rejeitou, entretanto, algumas das críticas que chegaram de Bruxelas, nomeadamente o temor a que os residentes europeus se transformem em cidadãos de segunda classe. Para David Davis, tal preocupação não teria fundamento, já que os 3,2 milhões de residentes europeus em solo britânico teriam os mesmos direitos que os cidadãos nacionais, “em termos práticos”.

Davis disse que nenhum grupo de cidadãos europeus iria ser deportado, a não ser que tivessem cometido algum tipo de crime considerado grave.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Irlanda do Norte: Longe de Bruxelas, perto da turbulência

Nigel Farage ultrapassou pela primeira vez partido do primeiro-ministro Rishi Sunak

Afinal, Nigel Farage vai concorrer às eleições no Reino Unido