Berlim reúne 140 países para falar migração e desenvolvimento

Berlim reúne 140 países para falar migração e desenvolvimento
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
PUBLICIDADE

Representantes de 140 países estão reunidos em Berlim na “conferência sobre migração e desenvolvimento”:https://www.gfmd.org/docs/germany-morocco-2017-2018#gfmd_summit_meeting

No primeiro dia dos trabalhos, o ministro alemão dos Negócios Estrangeiros, Sigmar Gabriel, apelou a uma nova política migratória para a Europa:
“Para uma política de migração de sucesso não precisamos só de proibições, mas também de regras que nos permitam utilizar a imigração como uma oportunidade. Não só por razões éticas, mas também, simplesmente, por interesse eonómico”.

O início de uma reflexão global no dia em que a Itália ameaça proibir a entrada nos seus portos a barcos com pavilhão estrangeiro, que transportem migrantes socorridos no Mediterrâneo.

O governo de Roma considera que “a situação atingiu os limites do suportável” e foi dizê-lo a Bruxelas, voltando a apelar à solidariedade dos parceiros europeus.

Só desde domingo, foram socorridas 10.200 pessoas ao largo da Líbia. A Itália já recolheu este ano 73.300 pessoas. De acordo com o ACNUR, 2005 pessoas terão morrido na travessia mediterrânica desde o início do ano.

O total de migrantes que chegou à Europa desde o início do ano é apenas cerca de metade dos chegados em igual período de 2016. Graças ao acordo entre a União Europeia e a Turquia – que pôs fim à rota através da Grécia – o fluxo diminuiu, mas as chegadas a Itália cresceram desde janeiro cerca de 14%, face aos primeiros seis meses de 2016.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Lampedusa está sobrecarregada depois de receber mais de 1000 migrantes em 24 horas

Finlândia prolonga indefinidamente encerramento da fronteira com a Rússia

Migrantes: 2023 foi o ano mais letal de que há registo